Colégio Santa Maria

Redes

PROJETO VIVA A POESIA VIVA!

30 de agosto de 2019

Alunos do sétimo ano – turno manhã – se destacaram na criação de poemas sobre o preconceito racial 

A poesia é muito mais que um texto, é a arte da palavra. Sensibiliza e precisa ser cultivada. Logo, a leitura do gênero poético é caminho para um futuro melhor, pois, além de despertar a reflexão e a fantasia, o incentivo à leitura resulta no melhor aproveitamento da criatividade, inspirando a busca pela identidade.

Dessa forma, baseados na capacidade criadora e sensibilidade poética, nossos alunos do 7º ano A e 7º ano B construíram belíssimos poemas sob a ótica do preconceito racial, um dos principais problemas sociais enfrentados nos séculos XX e XXI, que causa, diretamente, exclusão, desigualdade social e violência.

Além disso, a construção dos poemas significa um prólogo para o Projeto África, uma vez que o tema remete à reflexão da igualdade, empatia, respeito e amor ao próximo, pautados em um discurso pacífico de liberdade, no qual fazemos memória de Martin Luther King “Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença – nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais.”

Assim, nossos alunos estão exercendo a cidadania através das manifestações artísticas, conscientes do papel de transformadores, contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária. 

 

POEMAS SOBRE O PRECONCEITO RACIAL 

DISCIPLINA: REDAÇÃO 

TURMAS: 7º ANO A E 7º ANO B 

 

Onde brilha a África do Sul

Existiu um sujeito

Que não parava de chorar

É por causa do preconceito

Que acabara de chegar.

 

Foi tirado do seu lugar

E obrigado a trabalhar

Sem descanso noite e dia

Não retornava para o seu lar.

 

Lar de conforto e aconchego

Sem violência e sem medo

Não havia dor nem desespero

Somente lugar para o respeito.

 

Esse lar é a África do Sul

Onde brilha o céu azul!

Lá o mar é pintado de turquesa

E é linda a natureza!

 

Mas nem tudo são flores

Pois o racismo precisa acabar

Porque incrível é esse lugar

Assim também são as pessoas de lá!

 

Rebeca Vieira – 7º ano A

 

 

Um mundo melhor

No mundo existe o preconceito

E dele não há escapatória

Não ter amor nem compaixão

Isso é fato, isso é história.

 

Querendo ou não

Precisamos compartilhar

A alegria e a emoção

Sem dar ouvidos à rejeição.

 

Sempre tente lembrar,

Não há diferença entre nós

Sendo negro ou sendo branco,

Nunca deixe alguém em prantos.

 

O racismo é coisa séria

E com isso não se brinca,

É um ato de incompetência

Que não deveria ter existência.

 

O mundo seria mais seguro,

Sem pessoas no escuro

Sem racismo e discriminação

Isso é um gesto de compaixão!

Massimus Felipe –   7º ano B

 

 

 

A doença

Preconceito, por que existe?

Somos iguais por dentro.

O que muda apenas é a cor

E a aparência.

 

Todos temos sentimentos

E devemos sentir pelo outro

E agir bem com ele

Não importa sua cor.

 

Preconceito não faz bem

Seja para que sofre

Seja para quem faz

Preconceito é uma doença!

 

Para a criança, por exemplo

Todos somos iguais

Ninguém nasce com essa doença

Mas alguns a adquirem.

 

Mas para essa doença

Existe sim um remédio

O carinho e amor ao próximo

É de graça, só praticar!

Cauã Wernek – 7º ano B

 

 

O que faz o preconceito?

O que faz o preconceito?

Ele está andando por “aí”

Batendo de porta em porta

A nos perseguir.

 

Tanta gente tão igual

Que se sente diferente

Pelo preconceito racial

Que há muito tempo acompanha a gente.

 

Falta amor e compaixão

Falta ética e respeito

Em quem leva isso no coração

Em quem carrega isso no peito.

 

Seja do jeito que for

Acredite no que quiser

Ninguém pode criticar sua cor

E não podem mudar sua fé.

 

Preconceito,

Preconceito

Quando irá compreender

Que somos todos iguais, aconteça o que acontecer?

Letícia Calheira – 7º ano B

 

Cores

Tantas atrocidades,

Tantas mortes,

Tanto preconceito no mundo,

Por causa de cor.

 

Quando se trata de racismo,

Acho uma crueldade só,

Você pode até duvidar,

Mas isso não é amor.

 

Acredite,

Numa entrevista de emprego,

Por causa da minha cor,

Já me disseram “não”.

 

Mas eu sei que um dia a gente aprende,

O que não se perde é a esperança,

Sem racismo no coração,

Como alma de criança.

 

Mas muito obrigado,

Pela sua hipocrisia,

Pois ela me inspirou,

A fazer esta poesia.

Pedro Henrique Barcellos – 7º ano A

 

Não importa a cor 

Não irei ficar calado

Para ouvir seu preconceito

Pois apesar de tudo

Eu também mereço respeito.

 

Com tantos problemas no mundo

O racismo ainda existe

Desde a época da escravidão

As pessoas nele insistem.

 

Sua cor não importa

Branco, azul, rosa, preto

Nós somos todos iguais

E também com os mesmos direitos.

 

Por que tem tanto ódio

De quem não lhe fez mal?

E essa divisão de raças

Que no mundo já se tornou normal?

 

Por favor, me respeite

Da mesma forma que o respeito

E assim realmente veremos

Se o preconceito não tem jeito!

Beatriz Villas Boas Duarte – 7º B

 

Por que não respeitamos?

Me pergunto por que nesse mundo tão devasto há tanto preconceito?

Não importa a cor e a raça, devemos o mesmo respeito

Me diz por que você ainda os associa aos criminosos?

Nós devemos ter os mesmos direitos e oportunidades.

 

Por que você ainda faz racismo com o outro?

Ele é diferente, mas devemos dar as mãos para todos

Não é pela raça e etnia que definimos as pessoas

Me pergunto: matamos pela cor?

 

Devemos ser amigos e não discriminá-los

Isso só traz tristeza pelo mundo

Para mim, a cor deles é tão linda

Atualmente, há tantos casos de racismo: “Por que isso?”

 

Para que tanto preconceito racial?

Eles não deviam sofrer esse tipo de violência

É tão triste que a nossa sociedade faz isso

Numa vida que não deveria haver nenhum preconceito.

 

Por que tantos matam e fazem comentários maldosos?

Dizem ainda que os brancos são “raça pura”…

Nós devíamos saber que isso só traz dor

Nós não temos o direito de matar por causa da cor.

Laura –  7º ano A

 

Ó, preconceito!

Ó, preconceito

É um ato a se lamentar,

Se fizer de um jeito ou de outro,

Vai levar para o mesmo lugar.

 

Pode ser um dia de chuva, vento, sol, nublado…

O tempo que for,

Se praticar o preconceito,

O ódio entra no lugar do amor.

 

Um dos piores preconceitos,

É o preconceito racial,

Porque eles comparam o tom da pele,

E se for diferente, tratam-no como se fosse um ser irracional.

 

Ó, racismo!

É um ato que precisamos abolir,

Se vir o racismo no lugar onde mora,

Não espere! Já comece a agir.

 

Ó, preconceito racial!

É um ato perigoso,

Que se não tomar cuidado

Pode ferir seriamente o outro.

Israel – 7° ano B

 

 

A libertação de uma voz

A caixa de Pandora se abriu e agora terei de falar

Soltar a voz que me sufoca cujo sofrimento eu não posso aguentar

Contudo no fim daquela caixa a esperança estava lá

A esperança de que um dia essa luta vai acabar.

 

Nunca sequer ouvi falar de um ser que nasceu odiando

E simplesmente não tente achar o culpado dessa história

Porque sabemos muito bem quem é o dono dessa discórdia

“Será a sociedade o sujeito que nos molda?”

 

Há séculos a escravidão racial se iniciou

E em 2019, um homem foi morto pela sua cor

Uma morte por ser confundido com um bandido

Foi o que lhe restou…

 

Negros, leiam bem essa palavra

Ela parece mesmo tão forte, dita sem dó nem piedade?

O pensamento de que devemos chamar pessoas negras, de negras

É muito estrondoso para esta sociedade?

 

A triste verdade é que ainda temos que lutar

Por um racismo que surgiu e fez o favor de nos alimentar

E é simples, não adianta negar

A batalha por um título de ser humano vai continuar…

Luiza Rocha dos Santos, 7°ano A.

 

Somos todos iguais

Não importa sua cor, somos todos iguais

Antes de falar, aprenda a escutar

Antes de praticar, pare para pensar

Um comentário pode uma vida mudar.

 

Por que tantas brigas, por que tantas diferenças?

Somos todos iguais, não importa sua cor e a religião

Nós temos que mudar as nossas atitudes

Não é o tom de pele que nos faz diferente!

 

Vamos tentar construir uma sociedade melhor

Sem preconceito, sem ódio, sem discriminação

Porque todos nós somos irmãos

A vida seria tão bela, se todos se respeitassem.

 

Já pensou que a cor da nossa pele não diz quem somos?

É apenas uma cor, um toque diferente uns aos outros

Se eu pudesse voltar no tempo, e mudar tudo

Talvez hoje em dia não estaria nesse mundo.

 

Não importa sua cor

Somos todos irmãos e devemos fazer o bem sem olhar a quem

Então tire esse preconceito do coração

Já pensou em como é bom ser diferente?!

Maria Manoela de Oliveira Santos – 7°A.

 

As cores 

A cor das pessoas não diz nada sobre elas

Não é porque ela é branca

Não é porque ela é negra, não

Então, por que toda essa preocupação?

 

Por que toda essa discriminação?

Falando palavras de baixo calão

Que só afetam o coração

Isso pode resultar em uma futura depressão.

 

Como essas palavras de baixo calão

Que só afetam o coração

De um em um milhão

É por isso que eu o conserto com palavras de compaixão.

 

Sem medo de me machucar, ajudo a quem precisar

Contra o racismo vou lutar até que ele não exista

O racismo é intenso, e todos sabem disso

E eu vou crescer, crescer com esse compromisso.

 

Cortar o mal pela raiz é o meu objetivo

Isso sendo a favor dos meus princípios

Ajudar os outros é o meu objetivo

Ando sempre no mesmo caminho, sempre contra o racismo!

Luana Pires – 7° ano B.

 

Dores e Raças

Ainda hoje o ódio parece maior que o amor

Algo assim transmite tanta dor

E tudo por causa da cor

Pelo simples fato da cor.

 

Pergunte ao historiador

Ele dirá como a “linda” história de um país

Começou com sangue escorrendo até as raízes

Além do genocídio que acabou com parte da cultura dos ameríndios.

 

Pergunte ao cientista

Sobre o pequeno conjunto de linhas

Chamado de melanina

Que ainda muda tanto o dia a dia.

 

Milhares vieram em um porão de navio

E todos com os mesmos trejeitos

Cantando aos Orixás

Na esperança de um dia “voltar atrás”.

 

Tudo formula desigualdade hoje

Na qual os homicídios diminuíram para brancos

Mas só aumentaram aos negros

Mudaria tanta coisa se existisse mais respeito…

Maria Fernanda – 7° A.

  

Amor de todas as cores

Muitas vezes matamos, ofendemos

Por que não simplesmente respeitamos?

A sociedade discrimina por cor

Mas será que em nosso coração há amor?

 

Por dentro somos todos iguais,

A grande diferença é a forma de pensar

Pois alguns aprendem a amar,

Sem nunca reprimir, nem discriminar.

 

Nesse mundo de cores,

Devíamos deixar de odiar

E, ao próximo olhar

E ver que na verdade, diferença não há.

 

Imagine viver num mundo de pessoas iguais?

Onde todos têm a mesma cor,

Não seria previsível demais?

Por isso as diferenças sem rumor.

 

Vamos aprender a respeitar?

Aprender a olhar com amor?

Para só assim entender que não se trata de cor,

E sim, da sua forma de pensar que não mudou. 

Rebeca Lourenço – 7° ano A. 

 

Eles têm sentimentos

Uma grande quantidade

De pessoas nesse mundo

Eles logo vão ofender

Os que chamam de impuros.

 

Essa ação tem nome

Isso nem deveria acontecer

Mas já que é o tema proposto

Sobre o racismo eu vou dizer.

 

Pessoas sendo mortas

E até injustiçadas

Só por um tom de pele

Isso é uma piada!?

 

A etnia não importa

O respeito é o principal

Mas há sempre aquelas pessoas

Que praticam o mal.

 

São humanos como qualquer um de nós

Eles têm sentimentos

Entenda isso de uma vez

Não pratique esse ato horrendo!

Vivian de Rezende Araujo -7° ano A.

 

Um dia feliz

Preconceito racial, um grande problema

Ele é mundial e sem nenhum dilema

Sempre irá existir, num mundo de tolerância

Já colidindo com a tal ignorância.

 

Tanto faz sua cor, eles vão atacar

Isso é um terror, que vai nos abalar

Suas armas são poderosas, palavras e agressões

Por que passamos por essas regressões?

 

O que não notamos é que o preconceito está dentro de nós

Tente gritar, mas perante a isso, estamos sem voz

Olhe pela janela, lá está a realidade

Só sobrevive quem tem habilidade.

 

Lá fora é a selva, outra guerra

E é impossível esconder isso só com relva

Já se tornou parte do cotidiano?

Pois veem isso ano após ano.

 

O dia em que o branco e o negro

andarem juntos, no futuro e sem medo

Será um dia feliz e cheio de riqueza

Riqueza no amor, não no dinheiro – nossa fraqueza.

Clara Elisa – 7º ano B.

 

 

Veja Também

Endereço

Av. Automóvel Clube, 269
São João de Meriti – RJ
CEP: 25515-125

Fax: (0xx21) 2756-0431
Tel.: (0xx21) 2756-0731 / 2656-6623

Como Chegar

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos